Ibovespa sobe com otimismo externo e Moody's no foco

No entanto, as ações do Bradesco e da WEG, destoaram do índice e recuaram após divulgação de balanços trimestrais

O Ibovespa teve um aumento significativo hoje, impulsionado por fatores externos positivos e pela atenção voltada para a Moody's. Apesar disso, as ações do Bradesco e da WEG tiveram um desempenho inferior devido aos seus balanços trimestrais divulgados.

O índice teve um aumento de 0,95%, atingindo 127.122 pontos, com uma variação entre 125.925 e 127.670 pontos durante o dia. O volume de negociações foi de R$ 18,39 bilhões no Ibovespa e R$ 24,04 bilhões na B3. Nos EUA, o S&P 500, o Dow Jones e o Nasdaq também apresentaram ganhos.

O Federal Reserve manteve suas taxas de juros estáveis, conforme esperado pelo mercado, e as declarações de Jerome Powell foram menos preocupantes do que o previsto, o que trouxe alívio aos investidores. Além disso, a perspectiva melhorada para o rating do Brasil pela Moody's contribuiu para o clima positivo nos mercados locais.

A mudança nas expectativas do mercado, especialmente em relação à política monetária nos EUA, foi influenciada por dados de atividade econômica e inflação. Embora Powell tenha indicado que as taxas permanecerão altas por um tempo, a possibilidade de novos aumentos foi considerada improvável, o que foi bem recebido pelos investidores.

Pedro Serra, da Ativa Investimentos, observa que a melhora na perspectiva do rating local pela Moody's pode impactar os fluxos estrangeiros, mas o ceticismo dos investidores locais permanece devido a preocupações políticas e fiscais recentes.

Na sessão, com a queda das taxas de juros, as ações sensíveis a esse movimento tiveram um desempenho positivo, enquanto as ações do Bradesco e da WEG recuaram após a divulgação de seus balanços trimestrais.

Fonte: Valor Econômico


Outros conteúdos

Dólar fecha em alta firme, acima de R$ 5,20

O dólar à vista encerrou o dia cotado a 5,2103 reais na venda, em alta de 1,10%. Este é o maior valor de fechamento desde 18 de abril

IPCA-15 sobe 0,44% em Maio, mas vem abaixo do esperado

No acumulado em 12 meses, indicador ficou em 3,7%, de acordo com dados divulgados pelo IBGE